Viagens Nacionais

Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina está localizada na parte central do estado da Bahia. Trata-se de um parque Nacional com cerca de 41.750 quilômetros quadrados. Sua principal porta de entrada é a cidade de Lençóis, cujo acesso à partir de Salvador pode ser feito por um ônibus com cerca de 7 horas de viagem, ou voo direto em alguns dias da semana a partir da capital Bahiana.

Lençóis é a maior cidade, à partir dela se iniciam a maioria dos passeios, de curta ou longa duração. A maioria delas consideram a volta ao parque, com passeios de um ou dois dias para visitação das atrações mais próximas as fronteiras do parque. 

Conhecido como um dos Trekkings mais bonitos do Brasil, fiz a opção pela travessia do Vale do Pati, trilha com várias atrações exclusivas e que dura cerca de 6 dias. Dentro do Vale não existe acesso para carros ou motos, portanto o viajante só pode contar com a sua própria capacidade de locomoção e disposição para encarar mais de 70 km de caminhada.

Também não existem pousadas e nem é permitido acampar no interior do parque, a solução para isso são próprias casas dos moradores, que adaptaram suas residências para receber os aventureiros. 

Nessa nossa aventura, iniciamos em Lençóis, demos a volta ao parque até a cidade de Guiné e de lá caminhamos até a ¨Igreijinha¨, assim é conhecida a casa do Seu João. A partir desse ponto é possível percorrer diversas trilhas para algumas atrações, como o do Cachoeirão e o morro do Castelo. A vantagem de se hospedar da casa dos moradores é pela facilidade em deixar guardado material pesado, partindo para os pontos de atração apenas com o necessário, isso alivia um pouco o peso.

Após permanecer por duas noites na Igreijinha, partimos em direção a residência do Seu Jaílson, mais conhecida como Prefeitura, nesse local passamos mais duas noites, para visitar o poço das árvores e o Morro do Castelo por outro angulo.

No quinto dia seguimos para a residência da Dona Linda, que seria nosso último dia no vale e após um excelente café da manhã, atravessamos um gigante paredão rosa com o desafio de chegar até a uma da tarde na cidade de Andaraí, porém de forma inexplicável, chegamos a esse mesmo lugar às dez e trinta, por isso ganhamos um ¨upgrade¨pelo mérito de ter chegado tão rápido. Pudemos então conhecer o poço azul e mais perto do por do sol o morro do Pai Inácio, famoso cartão postal da Chapada, que vale muito a pena todo o desgaste da viagem.

Nosso retorno a Lençóis foi no sexto dia e nessa mesma noite pegamos nosso ônibus de volta para Salvador e de lá para o Rio.

O link Abaixo direciona você para o livro com registros fotográficos da viagem.

Livro Trekking a Chapada Diamantina Bahia Brasil em Agosto de 2014